Ensejos

O amor… por que sempre ele?! Por que os amores nos fazem agir como idiotas?! Por que somos atormentados dia e noite por uma incansável busca pelo amor e pelas desventuras que ele nos promove?! Essas eram algumas das perguntas que eu fazia a mim mesma nas noites de pensamentos oriundos de dias com vocês. Pensava que eu era apenas uma espectadora que acompanhava capítulo por capítulo esperando um desfecho feliz para a história dos atores de minha vida. Hoje encontrei as respostas para as perguntas que me conturbavam. A resposta é que somente o amor é capaz de nos transformar nos atores de nossas próprias histórias, só ele é capaz de nos levar onde queremos ir… seja o amor nas pessoas, nos compromissos que nos cercam ou no amor pela vida. Então, não perca a fé no amor, por mais rude que ele possa parecer, ele só quer que você protagonize sua própria vida.

Nos últimos meses, nos redescobrimos com as verdades que nunca foram ditas e que vieram à tona dentro de um círculo intenso de sentimentos. Descobrimos que amor tem tantas vertentes que seria quase impossível enumerá-las e citá-las, descobrimos que nas nossas histórias não existiram erros ou acertos, descobrimos que o tempo contribuiu de diversas formas e descobrimos o tanto que somos fortes ao assumir as verdades.

Estou em uma situação no mínimo incomum, meus dois melhores amigos me olham hoje de maneiras diferentes. Minha amiga, que antes me via como uma mulher sonhadora e fiel aos meus amigos, hoje me vê como a namorada de seu ex e que assumiu a responsabilidade de fazê-lo feliz e seguro ao olhar para trás. Meu amigo, que antes me via como uma menina que estava sempre ali disposta a ajudar e aconselhar, hoje me vê como uma mulher para dar a mão e seguir em frente rumo ao descobrimento de um futuro juntos. Não sei o que esperar, ou o que prometer, só posso dizer que estou em paz, pois estou com vocês, vocês que sempre foram o meu porto seguro e continuarão sendo. Quero a felicidades de todos e acredito ter achado o meio termo dessa equação.

Como disse uma vez Willian Shakespeare: “O amor é a única loucura de um sábio e a única sabedoria de um tolo.”

Ame;
Seja;
Lute;
Viva.

Está na hora de vivermos nossos ensejos,
Anik.

por Raphael Giovanni

Agnes Martins

Nascida e criada em Belo Horizonte, Agnes, é formada em publicidade e propaganda com pós em Marketing e Comunicação. Geminiana, com ascendente em aquário e vênus em áries. Ama assistir seriados, ler livros e escrever sobre tudo nas horas vagas.

Deixe uma resposta