Ela me deixou

Manuella,

Ontem ela me disse adeus. Disse que era a hora de partir, que as coisas não estavam bem e que ela precisava ir embora. Eu tentei fazer com que ela ficasse, mas eu sabia que seria mais difícil do que eu imaginava.  Eu tinha que deixá-la partir, era o certo, só que parte de mim não podia suportar ficar sozinho.

Eu sempre te contei tudo, e agora não poderia ser diferente, ela se foi. Não por bem, mas por mal. Foi arrancada da minha vida como se ela nunca tivesse feito parte. É assim mesmo que as coisas acontecem? Sem aviso, sem sentido e sem critério.

Eu não consigo pensar direito agora. O sol que brilha maravilhosamente lá fora, parece cinza aqui no meu quarto. Te digo isso, não por ser egoísta, e sim por que preciso desabafar com alguém, preciso contar, preciso dizer que ela se foi, e dessa vez é pra sempre. Não brigamos, não discutimos, só dizemos adeus e mesmo assim dói, como se tivéssemos tido a pior briga de nossas vidas.

Ela me disse que cansou do meu amor. Que ele era sufocante, perigoso e, que em muitas vezes, ela percebeu que eu a amava mais do que ela me amava. E que isso era demais para ser suportado. Um amor com medidas diferentes, e a minha medida, era muito maior que a dela.

Quando ela fechou a porta atrás de si, eu finalmente entendi que ela realmente tinha ido embora pra sempre e eu tinha ficado pra trás. Talvez isso fosse necessário, pra ela, pra mim, pra nós.  Mas mesmo tendo essa noção, eu me senti perdido num mundo de caos.

Espero poder te contar isso frente a frente na próxima vez. Por enquanto, apenas te escrevo para contar que ela me deixou.

De seu grande amigo,

André

por Agnes Martins – Follow my blog with Bloglovin

Agnes Martins

Nascida e criada em Belo Horizonte, Agnes, é formada em publicidade e propaganda com pós em Marketing e Comunicação. Geminiana, com ascendente em aquário e vênus em áries. Ama assistir seriados, ler livros e escrever sobre tudo nas horas vagas.

Deixe uma resposta